Você quer um celular mais que bonito? Deseja que ele também dure bastante tempo? Veja as dicas a seguir para uma boa compra.

1.  Faça análise da robustez baseado no índice IP

Para quem não sabe o IP é o índice de proteção quem indica as características de uma smartphone quanto ao seu grau de resistência ao pó e a água.

Através de uma pesquisa na internet você acha as características de dois modelos e geralmente são seguidos por duas figuras.

  • O primeiro do 0 aos 6 indicará o grau de resistência do seu dispositivo a corpos sólidos e poeira,
  • O segundo, de 0 a 9, mostrará a resistência do seu dispositivo à água ou outros líquidos.

Quanto maior o índice, mais forte o smartphone. Antes de se decidir pela compra de um smartphone faça essa verificação, ainda mais se você for do tipo desajeitado, que deixa tudo cair da mão.

Para saber mais: na maioria das vezes, os fabricantes especificam esses valores somente após certa certificação. Aqui está a lista das certificações mais usadas:

  • IP5x: O pó pode penetrar, mas sem danificar o dispositivo.
  • IP6x: Totalmente protegido contra poeira.
  • IPx6: Protegido contra jatos de água fortes de todas as direções (chuva, por exemplo)
  • IPx7: Protegido contra imersão temporária em 1 m de profundidade.
  • IPx8: Protegido contra imersão além de 1 m de profundidade e por 30 min.
  • IPx9: Protegido contra alta pressão da água, além das características IPx8.

2. Escolha uma tela resistente

Prefira telefones com o Gorilla Glass para ter uma tela resistente. Desenvolvidas pela empresa Corning, essas telas estão presentes em mais de 900 modelos de smartphones e em diferentes marcas.

O “Gorilla Glass” se destaca por seus componentes. Em vez de usar íons de sódio do vidro, eles contêm íons de potássio.

Em resumo, eles permitem maior compressão na superfície para resistir a impactos e arranhões, mas também para ter uma tela fina!

Lembre-se em todos os casos de colocar uma película de vidro para ter uma proteção maior…

3. Compre um telefone com um sistema operacional recente

Infelizmente, quanto mais antigo o software do telefone, mais eles correm o risco de obsolescência do software…

 O ano de lançamento possibilita verificar a vida útil do software: quanto mais recente a versão do Android ou iOS instalada, mais o smartphone deve suportar novas atualizações.

O Android já está na versão 10. Evite usar um telefone cujo software de fábrica seja inferior a 6. (abaixo, ele é condenado a 1 ano de bom uso, porque depois não terá bom funcionamento)

Para a Apple: evite comprar abaixo do iOS 10 (portanto, o iPhone 5). E prefira telefones com data de lançamento de pelo menos 2015

4. Escolha uma bateria com uma potência pelo menos igual a 4000 mAh

Uma bateria aproximadamente correta corresponde a 4000 mAh. É a unidade de armazenamento de energia. Quanto maior esse índice, mais a bateria durarão. Você pode comparar a duração da bateria dos smartphones na especificação do produto. 

5. Capacidade de armazenamento

À medida que os dados se acumulam em um smartphone (como nos computadores!) eles podem se encher rapidamente, causando erros e diminuindo a velocidade do software.

É por isso que uma boa capacidade de memória ou a presença de um slot para inserir um cartão de memória do tipo SD pode prolongar a vida útil do smartphone.

6. Verifique se o smartphone é fácil de fazer consertos futuros caso seja necessário

Caso aconteça de seu smartphone danificar, pesquise se o reparo é fácil. 

Saiba mais sobre a capacidade de reparo de telefones celulares (a tela que quebra, a bateria que deixa de funcionar, o carregador que não carrega mais, se é fácil encontrar peças de reposição…).

7. Compare modelos e etiquetas

Às vezes, algumas especificações atestam a sustentabilidade, bem como a abordagem ambiental da empresa e o baixo impacto do telefone no meio ambiente.

Dois rótulos estão bastante presentes: Epeat e Blue Angel.

Epeat: criado nos Estados Unidos em 1992 baseia-se em 23 critérios obrigatórios e 28 opcionais.

Esses critérios são classificados em 8 categorias diferentes: redução ou eliminação de substâncias perigosas, escolha de componentes que respeitem o meio ambiente, levando em consideração o fim da vida útil do material desde o projeto, durabilidade do material, redução do consumo de energia, reciclagem etc.

 A Epeat oferece aos fabricantes três rótulos: bronze (23 critérios obrigatórios atendidos), prata (50% dos 51 critérios atendidos) e ouro (75% dos critérios atendidos).

Anjo azul: Criado pelo Ministério da Ecologia da Alemanha em 1977, há vários critérios, tais como:

  • Levar em consideração a reciclagem ao projetar produtos
  • Reduzir a poluição durante a produção do produto
  • Redução do consumo de energia, emissões químicas e ruído e, finalmente.
  • Levar em consideração o fim da vida útil dos equipamentos de informática.

8. Você sabia que um smartphone pode ser ter várias vidas?

Como assim várias vidas?

Pergunte a si mesmo se realmente vale a pena comprar um telefone novo a um preço alto na loja, porque você pode comprar um modelo muito bom em lojas que oferecem smartphones usados.

São smartphones em fim de vida, reformados por profissionais para estar em perfeito estado de funcionamento.

Por exemplo, sites como trocafone e sou barato todos os tipos de produtos eletrônicos renovados, até 70% mais baratos que o preço dos novos!

Única desvantagem: os smartphones comprados em segunda mão têm garantia legal por 6 meses (em comparação com 1 ou 2 anos de um novo), e a obsolescência do software pode se manifestar mais rapidamente, porque as atualizações estão operacionais apenas por cerca de 5 anos pelos fabricantes.

O lado bom é que, além de economizar dinheiro, você também evitará contribuir para poluir a extração de recursos e a exploração social.

Além disso, você sabia que são necessários cerca de 70 kg de material para produzir um smartphone?

 A fase de fabricação é a mais pesada em termos de impacto ambiental no ciclo de vida de um smartphone, daí a vantagem de não favorecer a produção de novos dispositivos, mas de aproveitar os existentes.